Coronavírus: melhores práticas de cybersecurity para home office

Todas as notícias Tecnologia Institucional Parceiros Cybersecurity
Parceiros

Coronavírus: melhores práticas de cybersecurity para home office

Com a pandemia do coronavírus, muitas empresas passaram a adotar o home office para garantir a saúde de seus colaboradores e ainda manter os negócios funcionando. Várias organizações já tinham suas políticas de trabalho remoto para atender a um grupo pequeno de usuários, mas esse novo cenário trouxe novos desafios para oferecer esse recurso em grande escala sem colocar em risco a cibersegurança da empresa.

Para isso, é importante que a empresa esteja em sintonia com seus parceiros de tecnologia em busca de soluções que garantam a integração dos usuários e a segurança do ambiente. Alguns recursos que estão sendo bastante utilizados em época de isolamento devido ao coronavírus são projetos de VPN e aplicações em nuvem.

No entanto, é preciso tomar alguns cuidados como a utilização de múltiplo fator de autenticação e diversas camadas de monitoramento até chegar aos dados mais importantes para empresa. O acesso a sistemas sem VPN, principalmente os que estão na nuvem, devem ser utilizados junto a um provedor de identidade com monitoramento a acessos e dados para evitar ameaças.

Além disso, também é importante considerar a capacitação dos usuários para utilizar os sistemas escolhidos e conscientizá-los a respeito das potenciais ameaças. Muitos colaboradores vão trabalhar remotamente pela primeira vez, então é necessário fornecer suporte para evitar os riscos à organização como um todo.

A invasão de sistemas ou mesmo ataques do tipo ransomware, com roubo de informações, podem causar grandes prejuízos financeiros para a empresa. Além disso, investir em segurança ajuda a proteger os dados dos clientes e manter a reputação da marca. Para a organização, também é importante estar em conformidade com as regulações de segurança e evitar a aplicação de multas.

Confira algumas medidas de cybersecurity para home office:

Autenticação em dois fatores

Além da criação de uma senha forte, com muitos caracteres e que não seja repetida, também é importante habilitar a autenticação em dois fatores para todos os programas e serviços online que o usuário utiliza no computador. Com essa ferramenta, só é possível se conectar se tiver acesso ao celular e inserir um código junto à senha, o que reduz as chances de invasão.

Segurança na web

A navegação na internet pode ser a porta de entrada para uma invasão do computador e até mesmo da rede da empresa. Com a crise do COVID-19, aumentaram os ataques de spear phishing, um golpe recebido por e-mail ou outras comunicações eletrônicas com o objetivo de roubar dados em troca de dinheiro ou instalar um malware no computador do usuário.

Com os colaboradores trabalhando em home office, é preciso ficar atento à segurança na web, aliando a utilização de um sistema de prevenção com a orientação aos usuários de como agir diante dessas ações.

Backup

Em muitos casos, a perda de dados pode impedir o funcionamento da empresa e nem sempre é possível recuperar essas informações. Por isso, é importante estar preparado e criar um processo de backup para não colocar a empresa em risco. O armazenamento seguro dos dados é essencial para garantir a segurança das informações e protegê-las de ameaças.

E-mail criptografado

Com o trabalho remoto, grande parte da comunicação entre colaboradores acontece por e-mail, seja para troca de informações internas, de clientes e transferência de arquivos importantes. Por isso, investir em criptografia ajuda a prevenir ataques de hackers e vazamento de informações, já que apenas as pessoas envolvidas terão acesso ao que é enviado.

Lembre-se que, neste novo cenário, a criptografia deve ser estendida para os dispositivos que não estão fisicamente na empresa ou conectados à rede corporativa, já que os usuários podem estar acessando as informações a partir de dispositivos pessoais e redes domésticas.

Análise do comportamento humano

Com muitos colaboradores trabalhando em home office, é preciso ficar atento e monitorar o comportamento dos usuários para detectar e gerenciar riscos com antecedência. Para isso, é preciso aplicar as políticas de proteção da empresa de maneira personalizada e direta, levando em consideração que o volume de usuários vindos de localidades desconhecidas irá aumentar.

Além disso, é preciso monitorar as atividades de usuários com altos privilégios e acesso a dados confidenciais para fornecer segurança extra.

Monitoramento e prevenção

A melhor forma de proteger os dados e informações de empresas, seja com colaboradores presenciais ou em home office, é investir em auditoria e monitoramento em tempo real. O OREV é um software israelense de cibersegurança que utiliza a tecnologia de machine learning e análise comportamental para proteger a organização de ameaças internas e externas.

Com o acompanhamento das atividades dos usuários em tempo real, o OREV não interfere no desempenho de nenhum dispositivo e permite a geração de relatórios completos. Nesse sentido, é a solução ideal para empresas que buscam a melhor solução em cybersecurity para lidar com o home office em tempos de coronavírus. Para saber mais sobre o sistema, entre em contato com nossos consultores.

Sobre o autor

Carlos

Desenvolvimento de projetos de automação predial, segurança eletrônica, eficiência energética e conservação de energia na área predial, interoperabilidade com redes elétricas inteligentes. Desenvolvimento de sistemas de supervisão e controle predial (BMS).